sexta-feira, 9 de janeiro de 2009

desafios

se fizeres um poema
com o sol e com a chuva

se deixares o coração dançar
em cada batida sincopada

se renovares as águas
barrentas, idas da memória

se romperes os diques
austeros de papel
que te seguram
nas orlas da dúvida

se o sol for o teu olhar
e a chuva
um mar por navegar
sem portos por aportar

sim
serás um arco-íris
em cores vibrantes
a florir
em ti

rui santos

4 comentários:

princesa s disse...

aah...ele voltou!! Gostei imensooooo

Eva disse...

Segredo

A poesia é incomunicável.
Fique torto no seu canto.
Não ame.

Ouço dizer que há tiroteio
ao alcance do nosso corpo.
É a revolução? O amor?
Não diga nada.

Tudo é possível, só eu impossível.
O mar transborda de peixes.
Há homens que andam no mar
como se andassem na rua.
Não conte.

Suponha que um anjo de fogo
varresse a face da terra
e os homens sacrificados
pedissem perdão.
Não peça.

(C D Andrade)

Bom fim de semana :))

Taiyo Omura disse...

se o poema fosse
apenas
seria uma breve brisa
apenas
seria uma leve sina
apenas
seria

sereia

XR disse...

São belos os desafios ...

escritos na água
amarrados no vento
pintados na noite
com as cores do luar