quarta-feira, 5 de novembro de 2008

dor

dor
de ter
o que se não tem
dor
de ter
o que se tem
dor que rasga a alma
por saber
o que poderia ser
se fosse mais além

rs

1 comentário:

Intermitências de Ecos disse...

A dor é vício!
O vício da alma...
dos poetas...
É a razão!

Beijo!*

Cátia